Geografia da Amizade

Geografia da Amizade

Amizade...Amor:
Uma gota suave que tomba
No cálice da vida
Para diminuir seu amargor...
Amizade é um rasto de Deus
Nas praias dos homens;
Um lampejo do eterno
Riscando as trevas do tempo.
Sem o calor humano do amigo
A vida seria um deserto.
Amigo é alguém sempre perto,
Alguém presente,
Mesmo, quando longe, geograficamente.
Amigo é uma Segunda eucaristia,
Um Deus-conosco, bem gente,
Não em fragmentos de pão,
Mas no mistério de dois corações
Permutando sintonia
Num dueto de gratidão.
Na geografia
da amizade,
Do amor,
Até hoje não descobri
Se o amigo é luz, estrela,
Ou perfume de flor.
Sei apenas, com precisão,
Que ele torna mais rica e mais bela
A vida se faz canção!

"Roque Schneider"


Quem sou eu

Salvador, Bahia, Brazil
Especialista em Turismo e Hospitalidade, Geógrafa, soteropolitana, professora.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Geografia do Turismo Cearense. Parte 2

2.2- Fortaleza
A capital cearense tem atrações para todos os gostos. A começar pela bonita orla central formada pelas praias de Iracema, Meireles e Mucuripe, unidas pela Avenida Beira Mar, ponto de encontro de turistas e moradores na hora do pôr-do-sol. A 11 quilômetros do Centro, a praia do Futuro é perfeita para um mergulho com muita mordomia. Metrópole de vida noturna agitada, Fortaleza tem balada a semana toda - a segunda-feira, aliás, é considerada a mais animada do planeta.
Muitas atrações fazem parte dessa cidade além de suas paradisíacas praias. Reunimos algumas delas para você logo abaixo.
2.2.1- Catedral Metropolitana
Catedral Metropolitana da cidade de Fortaleza, construída no local da antiga Igreja da Sé. Tem capacidade para até 5 mil pessoas e suas torres possuem 75m de altura. Possui arquitetura gótico-romana, apresenta belos vitrais e é o principal templo religioso do Estado, está localizado no centro da cidade.
2.2.2- O Instituto Dragão do Mar
O Instituto de Arte e Cultura do Ceará (IACC), cujo nome fantasia é Instituto Dragão do Mar, foi à primeira Organização Social (OS) criada no Brasil na área da Cultura. Vinculado à Secretaria da Cultura do Estado. O
Complexo cultural proporciona atividades culturais, exposições e abriga o Memorial da Cultura Cearense, Museu de Arte Contemporânea, Cineteatro, o Planetário e um anfiteatro e um palco a céu aberto. Localizado na Praia de Iracema.
2.2.3- Farol e Museu de Mucuripe
Sua construção teve início em 1840 sob a aprovação de D. Pedro I. Foi inaugurado em 1872 e desativado em 1958. Atualmente é patrimônio histórico nacional, encontra-se aberto a visitação e abriga o Museu do Jangadeiro ou Museu do Farol.
2.2.4- Feirinha da Beira Mar
Famosa Feira de artesanato que acontece todos os dias no calçadão da Avenida Beira Mar da cidade de Fortaleza desde 1980 a partir das 17h. Localizada em frente ao Clube Náutico, o espaço reúne barracas a céu aberto com imensa variedade de produtos tais como redes, quadros em madeira, pinturas, cerâmicas, comidas e bebidas típicas, bijuterias, camisetas dentre outros.
2.2.5- Fortaleza Nossa Senhora de Assunção
Aqui teve início a história da cidade de Fortaleza. Em um forte construído em 1649 pelo capitão holandês Matias Beck. Seu nome foi dado pelos portugueses após a expulsão dos holandeses.
Hoje, devido à ocupação do exército, apenas algumas partes são abertas a visitação incluindo um pequeno Museu Militar.
2.2.6- Palacete do Ceará
Uma das obras mais representativas do início do Século XX. Inaugurado em 1914 e projetada por João Sabóia Barbosa. Hoje o prédio é ocupado pela Caixa Econômica Federal.
2.2.7- Palácio da Luz
Antiga sede do Governo do Estado, construído no final do século XVIII, serviu de residência ao capitão-mor Antônio de Castro Viana. Atualmente sedia a Academia Cearense de Letras.
2.2.8- Ponte Metálica ou Ponte dos Ingleses
Fez parte de um projeto de melhorias para o porto de Fortaleza. Foi realizada pela empresa inglesa Norton Griffths & Company Limited e sua obra teve início em 1923. Sua estrutura foi recuperada devido às ações do tempo sofrida e hoje configura 120m de lazer para sua população e visitantes com uma pequena galeria de arte, um observatório marinho e uma fantástica vista para o mar e o pôr-do-sol.
2.2.9-Theatro José de Alencar
Arquitetura estilo Art Nouveau, esse teatro foi inaugurado em 1910 e possui 120 lugares. A pedra fundamental do teatro foi colocada em 1896, no centro da Praça Marquês do Herval, hoje Praça José de Alencar.
2.2.10- Mercado dos Pinhões
Localiza-se próximo a Rua Monsenhor Tabosa. Antigamente era chamado de Mercado do Ferro e chegou a abrigar um mercado de carnes. Foi desmontado em 1938 e atualmente funciona como um Mercado das Artes.
2.2.11- Estoril
A trajetória do Estoril se confunde com a própria história da Praia de Iracema, funcionando como local de encontro da boemia fortalezense. O Tombamento Municipal do imóvel se deu através da Lei n° 6.199, de 19 de setembro de 1986.
A edificação original foi construída na década de 1920, erguida em taipa (processo de construção bastante comum na região). Na década de 1990, o antigo edifício foi substituído por uma réplica em alvenaria devido ao desabamento após uma forte chuva. O prédio, coberto por telha Marselha, possui dois pavimentos e uma torre. Todo material de acabamento e adorno do imóvel veio da Europa.
Na Segunda Guerra Mundial (anos 40), a família Porto arrendou a residência para norte-americanos que instalaram, no local, um cassino para a diversão de oficiais. Com o fim da Guerra, a “Vila Morena”, como era chamada, foi arrendada por portugueses. O local passou a funcionar como bar e restaurante e foi rebatizado de Estoril (nome de uma cidade portuguesa). O local era conhecido espaço de debates políticos, fato que o tornou alvo de especial atenção para o governo durante o período da Ditadura Militar. Atualmente é o local onde une a nossa arte, cultura e música principalmente de Fortaleza. Lugar em que se encontram os poetas, escritores, músicos locais e de outros cantos, e também, propício para os amantes de Iracema.
2.2.12- Praia do Futuro
Preferida dos banhistas, a praia do Futuro ocupa oito dos 25 quilômetros da orla da capital. Limpa e bonita abriga ao longo de seu calçadão diversas barracas que oferecem duchas de água doce, cadeiras de praia e delícias da gastronomia regional. As mais conhecidas são as do Chico do Caranguejo, frequentada por apreciadores do crustáceo; Guarderia Brasil, que reúne a turma jovem; Itapariká, com estrutura para crianças e procurada pelas famílias; Cabumba, point GLS; e Crocobeach, com piscina, sauna, lan houses e salão de beleza! Completam o cenário as areias fofas e claras, as ondas fortes e as dunas. Nas noites de quinta-feira, em especial, é palco para shows de forró e humor, além de festas comandadas por DJ´s.
2.2.13- Centro de Eventos do Ceará
O Centro de Eventos do Ceará (CEC), equipamento da Secretaria do Turismo (SETUR-CE), é o mais moderno do espaço do gênero na América Latina e o segundo maior do Brasil em área útil, com 76 mil m². Uma das suas principais marcas é a versatilidade: trata-se de um equipamento multiuso cuja vocação é receber feiras, exposições e outros tipos de eventos. Para tanto, é divisível em até 44 espaços diferentes, adaptáveis às necessidades dos organizadores, abrigando ao mesmo tempo eventos de diferentes tipos, portes e vocações. O equipamento é dividido em dois grandes blocos, compostos por salão de exposição (com até 13,6 mil m²) e dois mezaninos, com 18 salas modulares cada um. Os espaços têm climatização e iluminação inteligentes; isolamento acústico; instalações elétricas e sistemas de sonorização ambiente, de comunicação e de telefonia. Os pavilhões foram divididos em salões de 1.500 a 4.500m² todos com nomes de grandes destinos turísticos do Litoral Cearense. O Pavilhão Oeste pode ser divido em cinco espaços (Pecém, Taíba, Mundaú, Almofala e Jericoacoara), e o Pavilhão Leste em três espaços (Icapuí, Aracati e Iguape) por meio de divisórias de 13,65 metros de altura e dobráveis, de modo a ficarem completamente recolhidas em um nicho na parede. Além disso, possuem isolamento acústico. Com entradas específicas para cada espaço, é possível ter eventos de fluxo, vocação e densidade volumétrica distinta, sem que um interfira no outro. Na entrada de cada salão há um conjunto de sete recepções e/ou secretarias que podem trabalhar em conjunto, dependendo do tamanho do evento. Nos primeiros mezaninos, são oito salas de 300 m² cada, que podem ser utilizadas sozinhas ou em conjunto, pois possuem o mesmo sistema de divisórias dos salões. Nos segundos são dez salas modulares. Estas 36 salas (18 em cada bloco), estão equipadas com sistemas de comunicação e de tecnologia e podem ter diversos usos, conforme a necessidade do organizador: auditórios, exposições, palestras, conferências, reuniões, salas de apoio (de administração, de imprensa, de tradução simultânea etc.).
2.2.14- Parque do Cocó
Um dos principais points da cidade para passeios e caminhadas pelas trilhas ecológicas, contam ainda com quadras esportivas, pistas de Cooper, anfiteatro e arvorismo. Nos limites do parque é possível fazer um passeio de barco pelo Rio Cocó, curtindo o manguezal, a flora e a fauna da região, que conta com várias espécies de moluscos, crustáceos, peixes, répteis, aves e mamíferos.
2.2.15- Mercado Central
Situado no coração de Fortaleza, o Mercado Central é o local onde é possível encontrar o melhor da produção cearense em artesanato, confecções, artigos em couro (sandálias, sapatos, chapéus, bolsas e malas), bebidas, doces e comidas típicas. Destaque para as peças de renda e a variedade de cachaças, licores, castanhas e doce de caju. Contém mais de 500 boxes e cinco pavimentos.
2.2.16- Centro das Tapioqueiras

Centro formado por 26 barracas que servem mais de 70 tipos de tapioca – Localizado na Av. Washington Soares, 10.215 (CE-040), bairro de Messejana, funciona das 05h30min às 24h, de segunda a domingo. O lugar é muito interessante, pois lá se reúnem as melhores tapioqueiras da região, que antigamente trabalhavam na estrada. O lugar possui estacionamento fácil e você pode escolher onde comer os mais variados tipos de tapiocas, pratos regionais e lanches.

Nenhum comentário:

Postar um comentário