Geografia da Amizade

Geografia da Amizade

Amizade...Amor:
Uma gota suave que tomba
No cálice da vida
Para diminuir seu amargor...
Amizade é um rasto de Deus
Nas praias dos homens;
Um lampejo do eterno
Riscando as trevas do tempo.
Sem o calor humano do amigo
A vida seria um deserto.
Amigo é alguém sempre perto,
Alguém presente,
Mesmo, quando longe, geograficamente.
Amigo é uma Segunda eucaristia,
Um Deus-conosco, bem gente,
Não em fragmentos de pão,
Mas no mistério de dois corações
Permutando sintonia
Num dueto de gratidão.
Na geografia
da amizade,
Do amor,
Até hoje não descobri
Se o amigo é luz, estrela,
Ou perfume de flor.
Sei apenas, com precisão,
Que ele torna mais rica e mais bela
A vida se faz canção!

"Roque Schneider"


Quem sou eu

Salvador, Bahia, Brazil
Especialista em Turismo e Hospitalidade, Geógrafa, soteropolitana, professora.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Era da Informação e Sistemas de Informações Geográficas.

3. Introdução:
As relações entre a sociedade e o espaço são mediadas, cada vez mais, pela tecnologia da informação. Para a Geografia, a informação é um recurso importantíssimo para o estudo e a representação do espaço geográfico. As tecnologias da informação utilizadas pela Geografia apoiam-se em satélites artificiais, computadores (hardware) e programas específicos (software), entre outros recursos. Esses recursos tecnológicos, conhecidos como SIGs (Sistemas de Informações Geográficas), captam, processam e elaboram imagens que são utilizadas para fazer mapas e monitorar diversas atividades humanas, sendo essenciais para o trabalho do geógrafo.

3.1- A Geografia na Era da Informação
Nos dias de hoje, a popularização da informática e o acesso a textos e a produtos cartográficos em formato digital, além da flexibilidade/facilidade no manuseio das chamadas geotecnologias (hardwares, softwares e técnicas direcionadas para a geração de geoinformação, ou seja, da informação espacial/ geográfica), facilitaram as atividades produtivas de diversos indivíduos, não somente para os professores de geografia ou de outras ciências humanas, mas de profissionais de várias ciências que integram às suas atividades docentes o ensino do/e pelo mapa, além de outros sujeitos que utilizam essas geotecnologias em sua localização cotidiana, como o Sistema de Posicionamento Global - GPS, ou a visualização das imagens do Google Earth, ou em outros sites de empresas privadas e governamentais. Essa facilidade gerada com o avanço da informática, aliada aos conhecimentos cartográficos desenvolvidos durante séculos de estudo, que agora estão dispersos nos computadores, tiram do docente aquele velho pretexto de que não sabe cartografia devido a sua formação superior deficiente.
Todavia, apesar da grande importância do conhecimento apreendido em sala de aula no ensino superior, o número de textos, livros, softwares e tutoriais sobre cartografia, sensoriamento remoto, geoprocessamento e geoinformação em geral permitem que qualquer indivíduo tenha acesso aos produtos cartográficos da era digital. Além disso, os sites, blogs e listas de discussão sobre essa temática vêm se multiplicando diariamente, devido à facilidade do manuseio e ao fascínio que o ambiente computacional oferece para a confecção de produtos cartográficos.

3.2- Informação e espaço geográfico
Falar ao telefone, escrever e-mails, consultar o saldo bancário, efetuar pagamentos, fazer compras, realizar pesquisas na internet, fazer reservas em teatros ou cinemas, são ações que fazem parte do cotidiano de milhões de pessoas que habitam o planeta. Essas formas de comunicações e de obtenção de informações usando meios tecnológicos, estão tão incorporados ao modo de vida, que poucos se dão conta das grandes transformações que elas envolvem.

3.2.1- MÍDIA
O jornal, o rádio e a televisão foram se sucedendo ao longo da história recente da humanidade, sem que o aparecimento de um novo meio de comunicação de massa excluísse o outro. Atualmente, a internet reúne todos esses meios num único aparelho, o computador.
Além disso, ela oferece outras formas de comunicação, como o correio eletrônico (e-mail), as conferências em tempo real e as cirurgias a distância (telemedicina), entre outras, viabilizando ações no espaço geográfico sem a necessidade de deslocar pessoas, papéis ou qualquer outro elemento material.
Na Era da Informação, os meios de comunicação de massa exercem um papel social muito importante. Nunca o volume de notícias foi tão grande nem sua difusão tão rápida. Do mesmo modo, nunca foi tão amplo o poder de manipulação da mídia, que muitas vezes seleciona ou distorce os acontecimentos divulgados, segundo seus próprios interesses políticos e econômicos. Isso significa que a informação não é neutra. Ela é selecionada, transmitida e aplicada segundo o ponto de vista e os interesses de países, empresas, partidos políticos, movimentos sociais, etc.
Com isso, os grandes conglomerados de comunicação acabam controlando a mídia internacional e exercendo forte influência política e cultural em todos os países do mundo. As grandes empresas de comunicações detêm diversas atividades que envolvem o jornalismo, o entretenimento e a publicidade.

3.2.2- Cartografia Digital
Do ponto de vista da geografia, a informática e as telecomunicações são importantes porque possibilitaram a integração instantânea entre regiões distantes, por meios de redes de  informação que se distribuem em todo o planeta, provocando assim modificações nas relações que ocorrem entre3 os espaços geográficos. A Geografia ao fazer uso dessas possibilidades, abre caminho para entendermos melhor a realidade3 do mundo onde vivemos.
Com a introdução dos recursos computacionais na Cartografia, o processo de análise da informação tornou-se interativo, principalmente com o uso da Cartografia Digital, dos Sistemas de Informações Geográficas (SIG’s) e da multimídia. Entretanto, métodos e técnicas desenvolvidos na cartografia convencional (ou analógica) não devem ser negligenciados nas aplicações ligadas a esta tecnologia.
A Cartografia Digital envolve sistemas de entrada, armazenamento e de editoração gráfica de dados.

3.2.3- O Ciberespaço
A Humanidade levou muito tempo para se expandir e ocupar diferentes partes do planeta, contudo hoje em dia isso modificou-se, a interação por meio das redes de informação dá uma nova dimensão ao espaço e cria uma nova forma de agir sobre ele. O espaço geográfico passa a conter um espaço virtual ou ciberespaço, possibilitando assim novas formas de socialização, sem a  necessidade do deslocamento físico.
O ciberespaço é um espaço sem dimensões, um universo de informações navegável de forma instantânea e reversível. Caracteriza-se pela ubiquidade ( capacidade de estar presente ao mesmo tempo em todos os lugares),  pelo tempo real e pelo espaço não físico. É um espaço não físico ou territorial. Composto por um conjunto de redes de computadores que fazem circular informação sob as mais diversas formas.

3.2.4- O Meio Geográfico
o ambiente onde a sociedade humana desenvolve as suas relações, chamado meio geográfico, inclui tanto os aspectos naturais como as modificações que os seres humanos introduzem na natureza.
Para compreender o seu conceito, é necessário entender a evolução das transformações do espaço, que vão desde o meio natural, passando pelo meio técnico, até chegar ao período atual, em que há uma maior inserção das ciências e do meio informacional sobre as formas com que as produções espaciais ocorrem.
Portanto, as três etapas mencionadas (meio natural, meio técnico e meio técnico-científico-informacional) formam uma periodização do meio geográfico, conforme a sua apropriação pelas atividades humanas. Assim, estabelece-se uma melhor noção das relações entre natureza e sociedade ao longo do tempo.

3.2.4.1- Meio Natural
O meio natural corresponde ao período em que o emprego das técnicas esteve diretamente vinculado à dependência sobre a natureza, da qual o homem fazia uso sem propiciar grandiosas transformações. Assim, as ações de interferência sobre o meio eram, sobretudo, locais, e a participação das atividades antrópicas, bem como as suas transformações, era limitada pela harmonização e preservação da própria natureza. Como exemplos do conceito de meio natural as técnicas de pousio, rotação de culturas e agriculta itinerante, em que o uso do solo limitava-se à sua preservação para manter um equilíbrio entre uso e preservação da natureza.




3.2.4.2- Meio Técnico
O meio técnico representa a emergência do espaço mecanizado, com a introdução de objetos e sistemas que provocaram a inserção das tecnologias no meio produtivo. Podemos citar como exemplo mais determinante a I Revolução Industrial, mesmo que antes disso já houvesse algumas técnicas em que a atuação mecânica existisse e agisse sobre o meio geográfico.
Assim, nesse período, ocorreu uma crescente forma de substituição ou de sobreposição dos objetos técnicos sobre os objetos culturais e naturais, mesmo que essa substituição não tenha se manifestado de forma igualitária, justa e homogênea nas diferentes regiões e territórios. Nesse momento, a Divisão Internacional do Trabalho intensificou-se, bem como a dependência das atividades humanas sobre o uso de maquinários e instrumentos.

3.2.4.3- Meio Técnico-Científico-Informacional
O meio técnico-científico-informacional corresponde à atual fase dos processos de transformação da natureza e de construção do espaço geográfico , estando relacionado, sobretudo, à Terceira Revolução Industrial, que, não por acaso, passou a ser reconhecida como Revolução Científica Informacional, cuja impactação manifestou-se de forma mais intensa a partir dos anos 1970.
Nesse momento ocorreu uma união entre técnica e ciência, guiadas pelo funcionamento do mercado, que, graças aos avanços tecnológicos, expande-se e consolida o processo de Globalização. Um exemplo de como as técnicas e as ciências estão constantemente se interagindo e propiciando a expansão do capital pode ser visto na recente ação promovida pelo Facebook em levar o acesso à internet a comunidades afastadas por meio do uso dos drones, veículos aéreos não tripulados.
Portanto, além de serem técnicos, os objetos também carregam em si a informação e trabalham a partir dela, o que justifica o nome do atual período de transformação do meio geográfico. Podemos, então, dizer que o processo de globalização só se manifesta em seu atual estágio graças aos avanços propiciados pelo meio técnico-científico-informacional.
3.3- Os Meios de Comunicação de Massa
Entende-se como comunicação de massa a disseminação de informações através de jornais, televisão, rádios, cinema e também pela Internet, os quais se reúnem em um sistema denominado mídia. A comunicação de massa tem a característica de chegar a uma grande quantidade de receptores ao mesmo tempo, partindo de um único emissor. As sociedades receptoras geralmente são urbana se complexas e passam por processos múltiplos e dinâmicos em que há um grande poder da mídia sobre seus habitantes. A comunicação humana pode ser classificada em dois aspectos distintos, sendo desenvolvida em vários campos de naturezas diferentes: a comunicação em pequena escala e a comunicação de massa. Nos dois casos, o ser humano começou a lidar com utensílios para auxiliar e tornar potente o processo de produzir, enviar e receber mensagens. A tecnologia se tornou aliada de tal comunicação humana, além de passar a participar da rotina da humanidade ao longo de seu desenvolvimento.
Os meios de comunicação – em especial, os de massa – têm, atualmente, um poder grandioso sobre a população brasileira. Eles exercem um papel fundamental na formação da opinião pública e na formação de ideologias, seja influenciando positivamente, seja influenciando negativamente.
Estamos vivendo uma época em que informação é poder e quem tem a informação é aquele que tem “o mundo em suas mãos”. Assim, podemos dizer que o poder, hoje, está na mídia, já que ela é a principal responsável pela transmissão dessa informação ao restante da população. O problema enfrentado ultimamente é o modo pelo qual essa transmissão é feita. Presenciamos, nestes últimos tempos, uma diminuição de jornalistas (profissão que designa os principais detentores da informação) sérios e objetivos, que realmente querem transmitir a informação de maneira verídica, em detrimento do crescimento de jornalistas que estão neste cargo visando a fazer parte do poder, custe o que custar.

Leitura Complementar:
A violência da informação
“Um dos traços marcantes do atual período histórico é, pois, o papel verdadeiramente despótico  tirano, repressor) da informação. Conforme já vimos, as novas condições técnicas deveriam permitir a ampliação do conhecimento do planeta, dos objetos que o formam, das sociedades que o habitam e dos homens em sua realidade intrínseca. Todavia, nas condições atuais, as técnicas da informação são principalmente utilizadas por um punhado de atores em função de seus objetivos particulares.
Essas técnicas da informação (por enquanto) são apropriadas por alguns Estados e por algumas empresas, aprofundando assim os processos de criação de desigualdades. É desse modo que a periferia do sistema capitalista acaba se tornando ainda mais periférica, seja porque não dispõe totalmente dos novos meios de produção, seja porque lhe escapa a possibilidade de controle.
O que é transmitido à maioria da humanidade é, de fato, uma informação manipulada que, em lugar de esclarecer, confunde. Isso tanto é mais grave porque, nas condições atuais da vida econômica e social, a informação constitui um dado essencial e imprescindível. Mas na medida em que o que chega às pessoas, como também às empresas e instituições hegemonizadas (que estão sob o domínio ou sob o controle) , é, já, o resultado de uma manipulação, tal informação se apresenta como ideologia”.

3.4- Internet
A Internet é uma rede mundial que interliga milhões de computadores em todo o mundo, de vários tipos e tamanhos, marcas e modelos e com diferentes sistemas operacionais.
Portanto, dizendo de modo simples, é uma forma fácil e barata de fazer com que computadores distantes possam se comunicar.
Apesar de ter uma história relativamente curta, a Internet se revela como um grande fator de comunicação, integração social, armazenamento de informações de todos os tipos e globalização de produtos.
A internet foi criada desde a década de 1960 , porém a internet surgiu mesmo em 1993, onde deixou de ser utilizada apenas por governos e de natureza acadêmica, e passou a estar presente nos diversos segmentos de empresas, residências, e etc. As conexões para acessar a internet também evoluíram muito com o passar dos anos, tornando-a cada vez mais rápidas e práticas.
A internet é composta por milhões de redes particulares, formada por residências, empresas, universidades, órgãos do governo, e etc., e tornou-se um fenômeno, pois é através dela que as pessoas tem a possibilidade de coletar informações sobre qualquer assunto do seu interesse, em qualquer lugar no mundo.
A internet permite o acesso a informações de todos os tipos e de muitas transferências de dados, além de uma grande variedade de recursos e serviços, como e-mails, serviços de comunicação instantânea, compartilhamento de arquivos como músicas e fotos, redes sociais, e uma infinidade de outros temas.
Em 2011, mais de 2,2 bilhões de pessoas estavam conectadas à rede e isso torna a mesma acessível a todas as pessoas, em todo lugar e a qualquer momento, sendo considerada um meio democrático de acesso à informação.

A internet, vem sendo utilizada como canal para a atuação de redes criminosas comandadas pela máfia, pelo narcotráfico e por grupos terroristas, que as utilizam para articular ações em diversos países do mundo, além de divulgar mensagens de cunho racista e xenofóbico (Ódio ou aversão ao que é estrangeiro).

Nenhum comentário:

Postar um comentário