Geografia da Amizade

Geografia da Amizade

Amizade...Amor:
Uma gota suave que tomba
No cálice da vida
Para diminuir seu amargor...
Amizade é um rasto de Deus
Nas praias dos homens;
Um lampejo do eterno
Riscando as trevas do tempo.
Sem o calor humano do amigo
A vida seria um deserto.
Amigo é alguém sempre perto,
Alguém presente,
Mesmo, quando longe, geograficamente.
Amigo é uma Segunda eucaristia,
Um Deus-conosco, bem gente,
Não em fragmentos de pão,
Mas no mistério de dois corações
Permutando sintonia
Num dueto de gratidão.
Na geografia
da amizade,
Do amor,
Até hoje não descobri
Se o amigo é luz, estrela,
Ou perfume de flor.
Sei apenas, com precisão,
Que ele torna mais rica e mais bela
A vida se faz canção!

"Roque Schneider"


Quem sou eu

Salvador, Bahia, Brazil
Geógrafa, soteropolitana, professora.
Loading...

segunda-feira, 27 de junho de 2011

POPULAÇÃO – CRESCIMENTO, ESTRUTURA ETÁRIA E TENDÊNCIAS ATUAIS VESTIBULARES 2011


(UNEAL) Analise o gráfico.


A partir dos índices apontados no gráfico e de conhecimentos sobre os países mais populosos do mundo, as letras A, B, C, D e E correspondem, respectivamente, a

a) Estados Unidos, China, Índia, Indonésia e Brasil.
b) China, Índia, Estados Unidos, Indonésia e Brasil.
c) Brasil, Índia, Estados Unidos, China e Indonésia.
d) China, Índia, Indonésia, Brasil e Estados Unidos.
e) Estados Unidos, Brasil, Índia, China e Indonésia.

(UNEMAT) Sobre a População Brasileira é correto afirmar.

a) Apresenta alto grau de movimentação interna, sendo o Centro-Oeste a região de maior repulsão populacional.
b) A taxa de fecundidade da população brasileira vem aumentando significativamente no país.
c) A maioria da população brasileira está concentrada na faixa oeste do país, em que podem ser encontradas áreas com densidades superiores a 100 hab./km2. Já a porção leste do país é bem menos
povoada, com predomínio de densidades inferiores a 10 hab./km2.
d) A partir de meados da década de 1960, a população urbana passa a ser mais numerosa que a população rural, em razão da industrialização que se acentua desde o final da década de 1950, provocando migrações do campo para a cidade.
e) A população absoluta do Brasil e sua grande extensão territorial permitem-nos classificar o país como muito povoado, porém pouco populoso.

(UNICAMP simulado 2011) Os gráficos abaixo apresentam as expectativas de vida de homens e de mulheres nascidos nos anos de 1920 a 2000 no Brasil e de 1830 a 1990, na França.


A partir desses gráficos, podemos concluir que a diferença verificada na expectativa de vida entre os gêneros, na segunda metade do século XX,

a) foi uma característica dos países mais industrializados, como a França.
b) diminuiu quando os países se industrializaram, uma vez que as mulheres passaram a ter mais direitos e oportunidades.
c) ocorreu apenas em países com altas taxas de criminalidade entre jovens adultos do sexo masculino, como o Brasil.
d) aumentou quando a expectativa de vida alcançou níveis mais altos.

(MACK)

O Brasil em 2020
Será, é claro, um Brasil diferente sob vários aspectos. A maior parte deles, imprevisível. Uma década é um período longo o suficiente para derrubar certezas absolutas (ninguém prediz uma Revolução Francesa, uma queda do Muro de Berlim ou um ataque às torres gêmeas de Nova York). Mas é também um período de maturação dos grandes fenômenos incipientes — dez anos antes da popularização da internet já era possível imaginar como ela mudaria o mundo. Da mesma forma, fenômenos detectáveis hoje terão seus efeitos mais fortes a partir de 2020.

David Cohen, Revista Época, 25/05/2009


Com base no enunciado, observe as afirmações abaixo, assinalando V (verdadeiro) ou F (falso).

( ) A diminuição da fecundidade no Brasil deve-se às transformações econômicas e sociais que se acentuaram na primeira metade do século XX devido à intensa necessidade de mão de obra no campo, inclusive de mulheres, fato este que elevou o país ao patamar de agrário-exportador.
( ) Devido à mudança do papel social da mulher do século XX, ela deixa de viver, exclusivamente, no núcleo familiar, ingressando no mercado de trabalho e passando a ter acesso ao planejamento familiar e a métodos contraceptivos. Esses aspectos, conjugados, explicam a diminuição vertiginosa das taxas de fecundidade no Brasil.
( ) As quedas nas taxas de natalidade de um país levam, ao longo do tempo, ao envelhecimento da população (realidade da maioria dos países desenvolvidos). Neste sentido, verifica-se uma forte tendência a um mercado de trabalho menos competitivo e exigente, demandando menos custos do Estado com os aspectos sociais.

Dessa forma, a sequência correta, de cima para baixo é

a) VVV.
b) FVV.
c) VVF.
d) FVF.
e) VFV.

(UEL) Da Copa de 1970 à Copa de 2010, a população brasileira passou de 93.139.037 para uma população estimada em 193.114.840 habitantes (IBGE - Popclock em 23 jun. 2010).

Com base nos conhecimentos sobre a dinâmica do crescimento vegetativo da população no Brasil, ao
longo desses 40 anos, assinale a alternativa correta.

a) A taxa de crescimento anual da população brasileira foi maior na primeira década do século XXI que nos anos 1970, apesar da estabilização da taxa bruta de mortalidade.
b) A contínua redução da taxa de fecundidade explica a queda na taxa de crescimento anual da população, apesar de o número total de habitantes ter mais que dobrado.
c) Nas duas últimas décadas, apesar do aumento das taxas brutas de natalidade, as taxas anuais de crescimento vegetativo da população brasileira se estabilizaram devido ao comportamento do saldo migratório.
d) O crescimento absoluto de aproximadamente 100 milhões de habitantes foi proporcionado pela elevação das taxas de fecundidade no Brasil ao longo do período.
e) O fato de a população absoluta ter mais que dobrado no período se deve ao saldo migratório positivo ocasionado pela absorção de centenas de milhares de imigrantes italianos e japoneses.

(UFT) Observe os gráficos abaixo:


Os gráficos acima dizem respeito às pirâmides etárias brasileiras organizadas de acordo com os dados divulgados nos censos de 1980 e 2000 realizados pelo IBGE. Na comparação, observa-se que a base da pirâmide etária da população brasileira está se tornando cada vez mais estreita e o ápice mais largo. Verifica-se também que o corpo está cada vez maior, o que reflete a diminuição das taxas de crescimento vegetativo, o que provocou uma mudança no perfil da pirâmide etária brasileira nessa comparação entre 1980 e 2000. A respeito da análise das pirâmides etárias apresentadas acima, éCORRETO afirmar que

a) a analise das pirâmides etárias permite verificar a composição etária de uma população e seu reflexo na estrutura da População Economicamente Ativa (PEA), a qual é formada por pessoas que exercem atividades remuneradas.
b) a análise das pirâmides etárias servem como subsídios para a elaboração de políticas previdenciárias e influencia diretamente em questões que dizem respeito à concessão de benefícios, na medida em que diminui o numero de pessoas aposentadas.
c) a análise das pirâmides etárias subsidia o Estado na elaboração de políticas públicas nas áreas de educação, saúde, saneamento e cultura, de modo que possam ser elaboradas ações que atendam às expectativas de uma população cada vez mais jovem.
d) a análise das pirâmides etárias permite verificar a composição da população feminina brasileira e serve como subsídio para a elaboração de políticas públicas de gênero para uma população feminina cada vez mais jovem.
e) a análise das pirâmides etárias auxilia o Estado na elaboração de programas sociais que objetivam a inclusão social e a distribuição de renda na intenção de corrigir as distorções do crescimento desigual entre a população brasileira.

(PUCRIO)


Assinale a interpretação correta para o cartograma acima.

a) As taxas de mortalidade infantil no continente africano são elevadíssimas.
b) O continente africano é o que possui a menor expectativa de vida do mundo.
c) A África é um continente com baixa presença de mão de obra infanto-juvenil.
d) O fluxo migratório interno do continente africano é limitado à sua faixa central.
e) A natalidade nos extremos sul e norte da África é menor do que a da sua região central.

(UFG) Leia o fragmento de texto a seguir.

Retrocedendo no tempo, verifica-se que para os homens, já em 1940, a média de idade no ato do casamento legal era de 27,1 anos, a qual se manteve quase inalterada até nossos dias [1998]. Com as mulheres não ocorreu o mesmo. Em 1940, elas se casavam no civil mais cedo, em média aos 21,7 anos, idade que veio crescendo sistematicamente e passou a 23,3 anos em 1950, 23,8 em 1960 e 24 em 1970.
BERQUÓ, Elza. Arranjos familiares no Brasil: uma visão demográfica. In: SCHWARCZ, Lilia M. História da vida privada no Brasil. Contrastes da intimidade contemporânea. São Paulo: Companhia das Letras, 1998. v. 4. p. 416-417. [Adaptado]

O texto retrata diferenças na idade média das mulheres, em relação à dos homens, no que se refere ao casamento civil. No Brasil, o aumento progressivo da idade de casamento das mulheres entre as décadas de 1940 e 1970 se deve, sobretudo, à

a) instituição do divórcio, que deu aos divorciados o direito de contrair novo matrimônio.
b) aprovação do código eleitoral, que garantiu a participação política das mulheres.
c) elevação da escolaridade, que possibilitou maior inclusão das mulheres no mercado de trabalho.
d) ampliação da longevidade feminina, que influenciou na nupcialidade e nas parturições.
e) implementação de políticas de saúde pública, que permitiu o acesso à contracepção e à esterilização.

(UFLA) Atente para o quadro abaixo:

Fonte: Censo Demográfico 2000 e Contagem da População 2007

As alternativas abaixo expressam análises possíveis para os dados apresentados no quadro, EXCETO:

a) O uso de anticoncepcionais e a legalização do aborto nas regiões mais povoadas contribuíram, significativamente, para a redução da taxa de natalidade.
b) A melhoria nas condições sanitárias e higiênicas promoveu a queda da taxa de mortalidade.
c) O aumento da idade média para o casamento reduziu o período de fertilidade em um matrimônio, afetando a taxa de fertilidade.
d) A redução das doenças infecciosas, parasitárias, do sistema respiratório e digestivo promoveu a queda da taxa de mortalidade.

(UEPB)


A estrutura etária da população tem reflexos importantes na economia de um país. Logo, a tendência dos grupos etários representados no gráfico nos leva à reflexão de que:

I - Em 1980, 38% da população tinham entre 0 a 14 anos de idade, em 2000 esse percentual cai para 29%, e, de acordo com as projeções do IBGE, em 2020 as crianças e jovens menores de 14 anos serão apenas 23% da população do país.
II - A participação relativa de idosos na população total vem aumentando significativamente. Em 1980, as pessoas com mais de 60 anos de idade representavam apenas 6%; em 2000 já perfaziam 7% e em 2020 totalizarão 13%.
III - As estatísticas oficiais afirmam que em 2006, 97% das população entre 7 a 14 anos frequentavam a escola. Como a população, nessa faixa etária, tende a diminuir em termos relativos e a permanecer estável em termos absolutos, não será necessário ampliar o número de vagas já existentes nas escolas fundamentais e sim melhorar a universalização do ensino médio e a qualidade das escolas, em todos os níveis.
IV - A projeção nos mostra que nas próximas décadas haverá um acelerado crescimento da população de idosos, resultante do aumento da expectativa de vida. Essas alterações no padrão demográfico brasileiro agravam a crise estrutural do sistema de previdência social no Brasil, mas, por outro lado, aumentam de maneira significativa a importância dos idosos no mercado de consumo (casas de repouso, atividades recreativas, educação continuada na área de informática, ensino de línguas estrangeiras e uma boa pedida para a indústria do turismo.

Estão corretas:

a) Apenas as proposições II e III
b) Apenas as proposições I e II
cTodas as proposições
d) Apenas as proposições II e IV
e) Apenas as proposições I e IV

(UEPB) O mapa da distribuição da população mundial mostra a irregularidade de ocupação humana pelo espaço, que de um modo geral está associada a três fatores principais: físico ou natural, histórico e econômico. Identifique as áreas assinaladas pelos numerais de 1 a 5 com os seus respectivos fatores favoráveis ou não à ocupação humana.


( ) Norte do Canadá, que deve sua baixa densidade demográfica ao fator climático de influência
polar.
( ) Nordeste dos Estados Unidos e Região dos Grandes Lagos, que devem sua intensa densidade demografia à presença da maior concentração industrial norte-americana.
( ) Leste da China, tem na história muito antiga da sua ocupação um dos motivos para apresentar
uma alta densidade demográfica.
( ) Bangladesh, c u j a localização no delta dos rios Ganges, Brahmaputra e Meghna, deve a esses rios as terras de aluvião muito férteis que atraíram uma das maiores concentrações populacionais do mundo.
( ) Planalto do Tibete na Ásia Central, cuja grande altitude e consequente associação de baixa temperatura e pressão atmosférica dificultam a ocupação humana.

A sequência correta da numeração é:

a) 5 3 1 4 2
b) 4 3 2 4 5
c) 3 2 5 1 4
d3 4 1 5 2
e) 4 3 2 1 5

(UEPB) Observe e compare o mapa da questão anterior com o gráfico e o quadro, e, com base na observação destes, assinale a leitura plausível a partir das referidas figuras e dados.


I - O século XX apresentou o mais rápido processo d e urbanização conhecido pela humanidade, fazendo com que ao final deste período a população mundial já fosse majoritariamente urbana.
II - As megacidades com mais de dez milhões de habitantes se concentram majoritariamente nos países onde o processo de industrialização clássica favoreceu a urbanização acelerada e uma rede urbana macrocefálica.
III - Os países subdesenvolvidos, em grande parte agrários, apresentam um crescimento mais acelerado das suas metrópoles que os países centrais mais urbanizados, motivo pelo qual o maior número de megacidades tende a se intensificar nesse grupo de países.
IV - O crescimento explosivo das cidades no terceiro mundo transfere a pobreza presente no campo para suas metrópoles, cujo crescimento é concomitante com a falta de infraestrutura, desemprego ou subemprego, aumento da violência, surgimento de favelas e outros tantos problemas geralmente denominados de urbanos.

Estão corretas apenas as proposições:

aI, III e IV
b) II, III e IV
c) I, II e IV
d) II e III
e) I e III

(GVSP) Em 01 de agosto de 2010, teve início o 12º Censo Demográfico brasileiro. O Censo 2010 envolve o trabalho direto de aproximadamente 230 mil pessoas, e seus resultados vão subsidiar o planejamento de políticas públicas e privadas pelos próximos dez anos. A alternativa que descreve uma mudança introduzida nesta edição do Censo é:

a) Investigação sobre arranjos familiares formados por cônjuges do mesmo sexo.
b) Investigação sobre os grupos étnicos e sua distribuição pelo território nacional.
c) Investigação sobre as comunidades religiosas e sua distribuição pelo território nacional.
d) Investigação sobre os padrões de mortalidade e fecundidade vigentes no país.
e) Investigação sobre os níveis de renda e de consumo das famílias brasileiras.

(UEPB) Considerando que as pirâmides são gráficos que representam a estrutura de uma população distribuída por faixa de idade e sexos, observe as pirâmides 1, 2 e 3 e assinale com V ou com F as proposições, conforme sejam respectivamente Verdadeiras ou Falsas em relação à interpretação das mesmas.


( ) A base larga da pirâmide 1 indica uma alta expectativa de vida, que corresponde no geral aos países subdesenvolvidos, era a pirâmide típica do Brasil até o censo de 1980.
( ) A pirâmide 2 indica que o país apresenta uma elevação da expectativa de vida e que a população passa por um processo de envelhecimento. Assemelha-se à pirâmide que o Brasil começa a esboçar a partir dos anos 1990.
( ) A pirâmide 3 indica que o país apresenta uma baixa taxa de natalidade ao lado de uma baixa expectativa de vida, é a pirâmide típica dos países de economia emergente, a exemplo do Brasil e da Índia.
( ) A pirâmide 1 indica que o país necessita fazer altos investimentos em educação e saúde para qualificar sua mão-de-obra jovem enquanto que a pirâmide 3 indica que o país enfrenta altos gastos com aposentadorias, assistência social e carência de mão-de-obra nativa.

A sequência correta das assertivas é

aF V F V
b) V F V F
c) V V V V
d) F F F F
e) F F V V

(UCP) Observe a figura a seguir.



O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) está realizando o Censo da população brasileira em 2010. Com 80% da população brasileira já recenseada, os dados preliminares do Censo 2010 indicam que a pirâmide etária brasileira se alterou na última década. Em 2000, as crianças de até 4 anos de idade representavam 9,64% da população brasileira; hoje, são 7,17%. As de 5 a 9 eram 9,74%, percentual que caiu para 7,79%. A população com até 24 anos somava 49,68% dos brasileiros há 10 anos; hoje, constituem 41,95%.

Sobre os dados do Censo 2010, é correto afirmar que

a) os resultados apontam para um aumento da base da pirâmide etária, uma vez que a população jovem diminuiu.
b) a queda da taxa de fecundidade aliada a uma maior expectativa de vida são fatores que podem explicar as mudanças ocorridas na estrutura da população brasileira.
c) a diminuição da população jovem no Brasil é decorrente do aumento da taxa de mortalidade verificada no país em função das diversas epidemias que ocorreram na década analisada, tais como a
“gripe suína” ou H1N1.
d) o envelhecimento da população brasileira era totalmente inesperado neste Censo, haja vista os grandes investimentos sociais que foram feitos para a melhoria de vida da população jovem.
e) a diminuição da base da pirâmide etária brasileira é ruim, pois evidencia que o número de mortos na juventude está influenciando diretamente a estrutura da população.

(PUC-PR) O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou em setembro de 2010 os resultados da PNAD (Pesquisa Nacional sobre Amostra Domiciliar) referente às taxas de fecundidade nos últimos dez anos no Brasil. Os dados sobre o número de filhos por mulher são os seguintes:

Com base nesses dados, assinale a alternativa CORRETA:

a) O aumento das taxas em 2009 evidencia que o Brasil é um país que tem explosão demográfica.
b) Os indicadores demonstram que as taxas de mortalidade são superiores às taxas de natalidade, evidenciando redução demográfica.
c) O índice de 2009 indica ligeiro aumento na taxa de fecundidade não caracterizando crescimento demográfico explosivo.
d) Esses números indicam que o Brasil é um país com taxas negativas de crescimento demográfico, demonstrando a política estatal de um filho único.
e) Caso essas taxas de fecundidade sejam mantidas, o Brasil, em uma década, ultrapassará o total da população da Índia.

(UFF) Os versos abaixo, do compositor Assis Valente, procuram retratar o encontro de uma dona de casa com um recenseador do IBGE.

Recenseamento

Em 1940
Lá no morro começaram o recenseamento
E o agente recenseador
esmiuçou a minha vida
foi um horror
E quando viu a minha mão sem aliança
encarou a criança
que no chão dormia
E perguntou se meu moreno era decente
E se era do batente ou era da folia

Os versos da canção permitem pensar em dois indicadores demográficos passíveis de serem obtidos a partir das informações buscadas pelo recenseador. Esses indicadores referem-se especificamente

a) à taxa de urbanização e à esperança média de vida.
b) à taxa de mortalidade infantil e à taxa de matrimônios estáveis.
c) ao índice de Gini e à taxa de alfabetização de adultos.
d) ao saldo migratório e à renda per capita urbana.
eà taxa de fecundidade e à população economicamente ativa.

(FUVEST)


Fonte: Ministério da Integração Nacional, 2006. Adaptado.

a) Correlacione as informações contidas nos mapas acima.
b) Identifique e explique dois fatores responsáveis por mudanças no padrão espacial de distribuição da população brasileira, ocorridas entre 1991 e 2000.

Resolução:

a) Os mapas mostram que as áreas com as maiores taxas de crescimento demográfico estão em regiões com menores densidades demográficas.

b) As regiões que apresentaram as maiores taxas de crescimento demográfico no período de 1991-2000 são áreas do Norte e do Centro-Oeste brasileiro e as regiões metropolitanas de São Paulo
e Rio de Janeiro. Entre os fatores que explicam tal fato, destacam-se serem estas regiões de atração populacional e que apresentam elevadas taxas de crescimento econômico relacionadas ao desenvolvimento dos setores de serviço e industrial (as regiões metropolitanas) e à expansão da agropecuária e da mineração (Norte e Centro-Oeste)

(ESPM) Em 2010, o IBGE realiza o Censo Demográfico brasileiro, cuja aferição total só será concluída em 2012. Contudo, a realização dos últimos PNADs permitem afirmar sobre a população brasileira que nas últimas décadas:

a) as taxas de natalidade e mortalidade caíram e, consequentemente, a de crescimento vegetativo aumentou.
b) houve um aumento da taxa de mortalidade devido ao envelhecimento precoce da população brasileira.
c) estão em curso os estreitamentos do meio e da base da pirâmide etária e o alargamento do topo.
d) há uma encruzilhada demográfica motivada pela significativa redução do ingresso ao mercado de trabalho dos jovens entre as décadas de 2010 e 2030.
e) houve um efeito combinado da redução dos níveis da fecundidade e da mortalidade e do aumento da expectativa de vida.

(UECE) A diminuição do ritmo de crescimento da população brasileira, a partir dos anos de 1980, teve como causa fundamental a

a) disseminação da prática do aborto, em conformidade com a legislação vigente.
b) esterilização de grandes efetivos demográficos, a partir da laqueadura e da vasectomia.
c) redução das taxas de natalidade, associadas aos processos de urbanização.
d) considerável emigração para os países localizados na zona temperada do globo.

(PUCPR) A estrutura demográfica brasileira caracteriza-se por:

a) Aumento nas taxas de fecundidade e natalidade e aumento nos indicadores de mortalidade infantil, indicando aumento do crescimento vegetativo.
b) Aumento da fecundidade, redução da expectativa de vida e aumento das imigrações, indicando crescimento da população adulta.
c) Aumento da expectativa de vida, diminuição das taxas de fecundidade e de mortalidade e aumento da população com idade superior a 60 anos.
d) Aumento da natalidade e da expectativa de vida, indicando crescimento demográfico significativo da população de 0 a 5 anos.
e) Aumentos das emigrações, indicando a falta de perspectivas de vida e decréscimo na quantidade de população jovem e adulta.

(UEPI) A distribuição desigual da população na superfície terrestre leva à existência de regiões densamente povoadas e de regiões subpovoadas. São exemplos de áreas densamente povoadas:

a) Europa Setentrional e Meridional.
b) Ásia de Sudeste e Europa Centro-Ocidental e
Meridional.
c) Ásia de Sudoeste e África Meridional.
d) Oriente Médio e Oceania.
e) Kalaari e África Setentrional.

(UEPI). Analise a Tabela abaixo, correlacionando-a com as proposições apresentadas a seguir.


a) Os Estados Unidos e o Brasil são os únicos países situados na América Anglo-Saxônica.
b) Os Estados Unidos e o Brasil são os mais populosos e também os mais povoados do planeta.
c) As taxas de crescimento demográfico mais baixas são um reflexo da ocorrência de taxas de fecundidade também baixas.
d) Os indicadores demográficos utilizados para o cálculo da taxa de crescimento demográfico foram aqueles referentes às taxas de natalidade e de mortalidade.
e) A densidade demográfica de Bangladesh de 1.099,14 hab/km² foi obtida da divisão da sua população relativa pela sua extensão territorial.

(UEPI). Analise as Pirâmides Etárias a seguir, correlacionando-as com as proposições apresentadas a seguir e assinale a opção correta.

Fonte: IBGE – Censo Demográfico 1991 – 2000

a) Estas Pirâmides Etárias são representativas de um pais desenvolvido.
b) Na análise desse Gráfico, se pode observar, além da distribuição da população por faixa etária, a sua distribuição por sexo, o comportamento de indicadores como natalidade, mortalidade, esperança de vida, bem como se ter uma noção a respeito da mão de obra disponível.
c) Elas refletem o comportamento da estrutura etária de um país de regime demográfico de população envelhecida.
d) O crescimento nas faixas etárias de idades superiores aos 70 anos tem reflexos diretos na economia do país, relacionados não só à questão da aposentadoria, como também a do mercado de trabalho.
e) Comparando-se as duas Pirâmides, constata-se de 1991 para 2000, um crescimento das faixas de idades de 65 aos 69 anos e de 70 anos e mais. Os 70 anos são vistos hoje, por alguns estudiosos de população, como sendo a idade a partir da qual a população é considerada como idosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário